O que faz um bom ROC

Um mercado global, informado, consumidores exigentes e sofisticados, colaboradores preparados, shareholders influentes, tudo isto contribui para uma melhor corporate accountability. A missão do ROC serve o interesse de toda a comunidade e no ciclo de Trust (confiança), através do contínuo fortalecimento da contabilidade e auditoria, pela adesão a normas profissionais de alta qualidade, manifestando-se em assuntos de interesse público onde os conhecimentos da profissão são relevantes e contribuir para o desenvolvimento de empresas e economias fortes.

Um mercado global, informado, consumidores exigentes e sofisticados, colaboradores preparados, shareholders influentes, tudo isto contribui para uma melhor corporate accountability. Este paradigma, é ainda influenciado pela multiplicação das fontes de informação e rápido acesso, por uma opinião pública mais culta e exigente e, em linha com recentes escândalos, reguladores mais vigilantes, cujas exigências em termo de confiança na informação financeira e informação não financeira. Trata-se de uma evolução positiva e o desafio é permanecer equilibrado e responsável. A multiplicação dos círculos de Trust é uma das condições para o desenvolvimento e perenidade da “aventura empresarial”, ou simplesmente da aventura humana, sejam quais forem as regras aplicadas.

As empresas são um poderoso motor de criação de riqueza e mobilização de recursos. É decisivo para os ciclos de Trust que os “commitments” de toda a comunidade (Empresa e stakeholders) sejam mantidos, respeitados e monitorizados. Actuar com Responsabilidade e ser Entrepreneur contribuem para a evolução positiva da sociedade.

A Missão do ROC inscreve-se no servir o interesse de toda a comunidade e no ciclo de Trust, através do contínuo fortalecimento da contabilidade e auditoria, pela adesão a normas profissionais de alta qualidade, impulsionando a convergência internacional dessas normas, manifestando-se em assuntos de interesse público onde os conhecimentos da profissão são relevantes e contribuir para o desenvolvimento de empresas e economias fortes. Um ROC deve estar consciente do seu papel, praticá-lo com orgulho, humildade e total consciência das implicações das suas decisões. Isto faz-se com compromisso pessoal muito forte, no respeito das regras e normativos, no desenvolvimento profissional dos homens e mulheres que formam as suas estruturas, da necessária aceitação por todos dos valores comuns e regras de conduta. Deve ter a capacidade de explicar, mas também de ouvir. Um bom ROC, uma boa Firma de Auditoria, estão comprometidos com os valores de integridade, transparência e competência, por isso, enquanto profissionais e membros de comunidade, têm de desenvolver a aptidão, actuar com atitude e posicionar-se com altitude em cada missão. A forma de proteger o interesse público é desenvolver, promover, actuar com consistência e actualidade dos valores que adere e pratica e exigir normas reconhecidas internacionalmente como forma de assegurar a credibilidade da informação sobre a qual os investidores e toda a comunidade dependem e baseiam racional e expectativas. O ROC é um agente do Corporate Accountability, Corporate Responsability e Trust. Isto é crítico no mundo económico e social actual.

José Rebouta, Partner Mazars Portugal

in Diário Económico (12 de Dezembro de 2012)

Share