Relatório sobre liderança na cultura organizacional na Europa

Definir o "tom" certo a partir do topo é visto de longe como o caminho mais eficaz para influenciar a cultura dos negócios atualmente.
“Lidere pelo exemplo e os outros vão segui-lo.” Mas a investigação feita entre os lideres das empresas europeias revela que esse princípio não está a ser impulsionado pelas ações diárias nas empresas.

A Mazars apresenta o Relatório de investigação sobre a liderança na cultura organizacional na Europa, preparado em associação com a Board Agenda e com o INSEAD. Esta investigação abre uma luz sobre a discrepância entre as palavras e os atos - é expectável que a ênfase colocada no tom da gestão de topo, especialmente no papel do diretor executivo, seja rapidamente alastrada pelos outros diretores e pela empresa.

"Compreender tanto a cultura corporativa que se deseja alcançar quanto a que existe na prática, é vital para perceber se o board promove uma liderança efetiva e orientações para o negócio", diz David Herbinet, chefe global de auditoria da Mazars. "Muitos Conselhos de Administração precisam de avaliar se as informações sobre questões culturais são suficientemente abrangentes, estruturadas e sujeitas a um escrutínio independente para atender às suas necessidades atuais e futuras", diz Anthony Carey, Head of Board Practice na Mazars no Reino Unido.

Painel

O Estudo foi conduzido durante o verão de 2017 e contou com a participação de 450 CEOs, CFOs, administradores, diretores executivos e não executivos, responsáveis de risco e gestores de investimento que representam empresas públicas, privadas e cotadas da Europa.

Principais Conclusões

  • Gestão de topo: Mesmo acreditando que a cultura das empresas possa ser influenciada pelo topo, particularmente através do papel do CEO, apenas um em cada cinco diretores acredita que está a gastar a quantidade certa de tempo na abordagem de questões culturais.
  • Perceção vs realidade: Metade dos diretores afirmam ser "razoavelmente claros" na cultura desejada dos seus negócios, mas apenas um quinto diz que as suas equipas conhecem plenamente a cultura desejada do negócio.
  • Gap estratégico e de alinhamento: Metade dos inquiridos diz que existem lacunas significativas entre a estratégia e a cultura ou que não se investiu muito tempo a considerar o alinhamento entre as duas. No entanto, a outra metade acredita ser muito claro quanto ao alinhamento entre estratégia e cultura ou que a sua estratégia é fortemente consistente com sua cultura.

No geral, os resultados indicam que, embora a consciência da importância da cultura corporativa para o sucesso dos negócios seja reconhecida, os conselhos de administração ainda não encontraram uma forma de discutir a cultura corporativa de forma significativa e dificilmente incluir a cultura como um item relevante nas suas próprias avaliações de desempenho.

Consulte mais informações, incluindo as 10 dicas sobre como eliminar a divisão cultural, fazendo download do relatório abaixo.

Documento

Board Leadership in Corporate Culture
Board Leadership in Corporate Culture