Mazars 2017 Luxury Study

Em resposta a um mundo agitado pelo aumento da volatilidade económica global, a indústria de luxo começa a concentrar-se na sustentabilidade e na ética. O respeito pelo meio ambiente, os materiais reciclados e inovadores, a integridade em toda a cadeia de valor, a economia colaborativa e digital e o empreendedorismo social estão entre as prioridades estratégicas das empresas de luxo.

A Mazars apresenta o estudo 2017 Commercial Fashion and Luxury Expertise, "Reinventando o luxo - Ética como criação de valor", que evidencia a dinâmica atual da indústria de luxo e da forma como as empresas estão a basear-se na ética para construir valor.
"O estudo destaca empresas que procuram incorporar sustentabilidade ao tomar decisões estratégicas, num esforço para construir modelos de negócio sustentáveis e para se concentrarem em práticas éticas no trabalho. O surgimento de novas marcas construídas em torno de sustentabilidade e ética interrompe as cadeias de valor tradicionais e aproxima o luxo do empreendedorismo social", diz Fabien Seraidarian, senior manager da Mazars em França e autor deste estudo.

 

Painel

O estudo é baseado em 112 empresas da indústria do luxo e sete federações, cobrindo os setores dos artigos de couro, joalharia, relojoaria e peles.

Quatro categorias de práticas

Com base numa análise a centenas de marcas, a avaliação mais representativa das práticas permitiu ao estudo determinar quatro dimensões relacionadas com iniciativas baseadas na ética:                                                                                         

  1. A cadeia de fornecimento de matérias primas:  o setor de luxo consome recursos escassos. É importante tentar preservar a reprodução desses materiais ou encontrar alternativas. Reciclagem, upcycling ou utilização de materiais inovadores são os principais motores de sustentabilidade na cadeia de valor.
  2. O ambiente e as regiões locais: os players deste setor estão empenhados na redução dos impactos negativos para proteger o meio ambiente e para promover os ativos intangíveis locais do território.
  3. A força de trabalho e as condições sociais: se a força de trabalho é altamente qualificada ou as atividades na cadeia de valor envolvem ampla divisão do trabalho, é importante estar atento às condições de trabalho, comércio e formação.
  4. Respeito pelo consumidor: A longevidade ou a remodelação são aspectos fundamentais na avaliação da qualidade e impacto ético de um produto de luxo. A transparência nos processos de fabrico é cada vez mais motivo de preocupação.

3 questões chaves para mudar para um novo futuro

Através da análise destas práticas, o estudo responde a várias questões:

  • O que incentiva os players da indústria a evoluírem?
  • Qual é o impacto na cadeia de valor?
  • Quais são as estratégias? Como identificamos os diferentes ecossistemas?

Três estratégias principais para explicar as práticas sustentáveis das empresas de luxo

A abordagem de parceria (para a ética) amplia o âmbito da responsabilidade no setor de luxo. Isto permite que o valor criado não só seja redistribuído aos acionistas e funcionários, mas também aos clientes, fornecedores, empresas subcontratadas e comunidades locais.

Repensar a cadeia de fornecimento, preservar o meio ambiente e as regiões locais de fabrico, respeitando a força de trabalho e melhorando as condições de trabalho, e considerando as novas expectativas dos clientes, produzem três estratégias principais:

  • Gestão de risco
  • Transformação
  • Empreendedorismo social

Downloads

Share